Tokens Não Fungíveis: o que são e como funcionam os NFTs [GUIA COMPLETO]

Marketing Digital NFT

O mundo está cada vez mais digital! Com isso, as fronteiras tornam-se cada vez mais estreitas, nossas vidas são facilitadas e surgem novas oportunidades. Hoje em dia, até mesmo as obras de arte já são digitais. Mas você sabe o que são e como funcionam os NFTs?

Uma espécie de autenticador de ativos digitais, os NTFs (do inglês, Non Fungible Tokens) são artigos únicos e exclusivos que possuem atestados de originalidade digital garantidos por tecnologia blockchain.

Esses ativos podem ser praticamente qualquer representação digital: obras de arte, memes, vídeos e até mesmo artigos de coleção que existem no mundo real. O que faz algo poder ser ‘tokenizado’ ou não é a garantia de que é único, autêntico e original.

Acompanhe este guia completo para aprender mais sobre o que são NFTs, os tokens não fungíveis de blockchain.

Muitas dúvidas devem pairar na sua mente: “O que são NFTs?”, “Como funcionam?”, “Como utilizá-los como alternativa de investimento?”, “Como criar, comprar ou vendê-los?”.

Calma! Uma coisa de cada vez.

O que são NFTs?

Os NTFs são artigos que possuem propriedade digital inviolável e têm direito autoral garantido por um certificado, que chamamos de token.

Parece difícil?

Então, vamos simplificar um pouco!

Para começar, precisamos explicar a diferença entre um item fungível e um não fungível. Portanto, imagine uma folha A4 ( com 210mm de largura e 297mm de altura), em qualquer lugar, essas folhas podem assumir a mesma qualidade, função e ter preço similar, basta garantir a produção disso.

Ou seja, se estou escrevendo numa folha em branco, posso fazer a mesma coisa em outra e terei o mesmo resultado. Podemos entender que uma folha A4 nunca é única, pois permite a troca. Desse modo, esse tipo de folha é um artigo fungível, isto é, não exclusivo.

Digitalmente falando, o popular Bitcoin é um excelente exemplo de ativo fungível.

Agora, os NFTs, ou cripto artes, são itens que não existem dois no mundo todo, tornando-os então, não-fungíveis. Com isso, podemos dizer que são invisíveis, invioláveis e, principalmente, autênticos. Para garantir essa autenticidade, as obras são ‘tokenizadas’.

Na prática, isso significa que elas recebem um selo de originalidade que fica protegido por blockchain (o mesmo que autentica as criptomoedas). É este selo, ou token, que garante a posse e exclusividade de cada NFT.

Como funcionam os NFTs

Cada obra de arte possui um valor devido a sua autenticidade. Um quadro como o da Monalisa, por exemplo, possui valor inestimável. Porém, reproduções do mesmo, ou cópias, não conseguem chegar nem perto do valor original.

Afinal, o quadro de Leonardo da Vinci tem um atestado que lhe garante ser único no mundo.

Assim sendo, os NTFs são ativos digitais que adquirem valor e selo de unicidade, sendo que nenhuma reprodução do mesmo terá o mesmo valor que o original.

Mas como garantir que um NFT é original?

Para isso, ao comprar ou criar uma cripto arte, você recebe um selo único que lhe dá direito sobre o arquivo em questão. Este selo legitima a posse e fica protegido por blockchain. Dessa forma, é praticamente impossível haver falsificações.

Ademais, um NFT não possui lastro. Ou seja, não dependem de um intermediador como banco, exchange ou corretora de valores para serem criados e trocados entre os investidores.

Isso garante que cada “crypto art” assuma um valor de mercado subjetivo de acordo com o que os interessados acham justo. Ou seja, trata-se de um mercado “livre”.

Quais são os principais tipos de NFTs?

Em síntese, os NFTs são qualquer item único e exclusivo que não pode ser reproduzido nem trocado por outro igual. Desse modo, são exemplos de cripto artes:

  • Obras de arte
  • Memes
  • Músicas
  • Álbuns
  • Fotografias
  • Skins
  • Receitas
  • Avatares

Até mesmo artigos do ‘mundo real’, ou seja, itens físicos, podem ser ‘tokenizados’ de alguma maneira: vinhos raros, tênis exclusivos, carros, imóveis, entre outros.

Aproveitando-se desta grande variedade, algumas grandes marcas como Pizza Hut, Pringles e até mesmo a Nike já transformaram algum de seus produtos em itens não fungíveis.

Além disso, nos jogos eletrônicos, muitas empresas já adotam os NFTs como moedas de troca dentro de seus mundos virtuais. Estas cripto artes são chamadas de gamecoins e já ganharam até mesmo jogos que funcionam somente por blockchain.

O que é um NFT Gamecoin?

Sem dúvida, as gamecoins estão se destacando no mercado de NFTs. Isso acontece porque os jogos eletrônicos possuem alto potencial de criação de cripto artes únicas que os jogadores podem adquirir.

Em síntese, uma gamecoin de um jogo pode envolver poderes de decisão dentro da plataforma, ou então servirem de moeda de troca com valor real. Nesse caso, o jogo pode comercializar itens exclusivos que assumem status de NFT, como no caso de skins, avatares e armas.

Um jogo conhecido por ter tokens exclusivos é o Axie Infinity, em que cada personagem é um NFT. Isto é, cada criatura é única, tem propriedade e não pode ser reproduzida.

Além disso, esse mercado de gamecoins chama a atenção pois você não precisa ser jogador para adquirir os itens originais. Basta ver potencial em um personagem, arma ou skin, por exemplo, e adquirir o selo de autenticidade.

Como funciona a criação de novos tokens?

Então, agora que já entendemos melhor o que são NFTs, como funcionam e alguns exemplos, chegou a hora de pensar nesses ativos como investimento. Nesse sentido, você pode criar seus tokens para depois vendê-los ou apenas comprá-los prontos.

Para a criação de um NFT, você precisa, primeiro, de uma conta em um dos mercados especializados e também da criptomoeda Ethereum (ETH).

Isso porque será nos marketplaces que você desenvolve e faz o leilão das cripto artes e é por meio da rede ETH que a maioria dos NFTs são negociados.

Alguns mercados importantes são o OpenSea, o Rarible e o Nifty Gateway. Nestes, você precisa abrir uma conta e, em seguida, vincular sua carteira de ETH.

Depois disso, cria suas coleções pela plataforma, valida a obra e recebe o certificado digital que lhe garante autenticidade. O processo de criação muda um pouco de um mercado para outro.

Como comprar NFTs?

Sempre que comprar uma cripto arte, você assume os direitos autorais da mesma. Mas lembre-se: nunca assumirá a autoria do token, que fica creditado para o criador.

Assim como alguém que adquire um quadro do Van Gogh ou de Picasso não irá tornar-se o autor das obras, você também não será da NFT que adquirir. Só que, claro, passa a ser o dono, afinal, tem a posse garantida pelo selo adquirido.

Esclarecido esse ponto, vamos recapitular. Para comprar um item não fungível, você precisa:

  • Ter ETH na sua carteira de criptomoedas;
  • Abrir uma conta em um marketplace especializado: OpenSea, Super Rare, Rarible, Nifty Gateway, Axie Marketplace (para a gamecoin de que falamos antes), entre outros;
  • Depois disso, escolher o ativo que deseja e realizar a compra;
  • Após a transação, você recebe o token que autentica a posse do ativo digital protegido por blockchain.

Como e onde vender um NFT?

A venda dos NFTs são realizadas nos mesmos marketplaces. Portanto, seja para criar, comprar ou vender, você sempre vai investir por meio desses espaços.

Além disso, se tem interesse em vender alguma cripto arte que esteja na sua carteira, pode fazer a divulgação em outros espaços. Desse modo, fica disponível para um público maior.

Quanto custam os NFTs?

NFT “Gato Entediado #7667”. (Fonte: Reprodução / Z3nB0y)

Do mesmo modo como acontece com as obras de arte tradicionais, os valores dos NFTs são determinados por conceitos subjetivos.

É evidente que, com o tempo, um autor que se torna conhecido terá obras com valores mais elevados. No entanto, no início, é difícil determinar quais são as artes que irão valorizar ou não.

Para o caso dos NFTs, funciona da mesma forma. Enquanto que alguns valem centavos e podem jamais valorizar, outros são negociados por milhões de dólares.

Por exemplo, a cripto arte “Everydays: The First 5000 Days” (Todos os Dias: Meus Primeiros 5000 Dias), do artista Beeple, foi leiloada por US$69,3 milhões (cerca de R$360 milhões) em março de 2021 na tradicional casa de leilões Christie’s. Assim, passou a ser o NFT mais caro da história!

Outro exemplo de como esses ativos podem valorizar são as “CryptoPunks”, uma coleção de 10 mil NFTs únicos criados pela Larva Labs. O conjunto da obra vale cerca de US$1 bilhão.

Mas não pense que todas as cripto artes assumem esses valores astronômicos. Afinal, os marketplaces, dos quais já falamos antes, estão repletos de obras bem mais acessíveis.

Só para ilustrar, o NFT que está no início deste tópico, de autoria de Z3nB0y, chama-se “Gato Entediado #7667” e está avaliada em cerca de US$29,60 no OpenSea. Ou seja, com um custo bem menos elevado.

Para investir, preciso entender de criptomoedas?

Criptomoedas, de cima para baixo: Zcash, Litecoin e Bitcoin. (Fonte: Pexels)

A resposta mais simples é: não necessariamente. Todavia, isso não explica muita coisa!

Por isso, precisamos explicar algumas coisas antes da resposta completa:

  • Os NFTs não são criptomoedas, são tokens de itens que não podemos duplicar e nem trocar por outro, portanto, não fungíveis.
  • Enquanto isso, uma criptomoeda é fungível. Não há apenas um Bitcoin e sim 21 milhões, e acho que isso explica bem a diferença.
  • Para conseguir criar, comprar ou vender NFTs, você precisa de Ethereum, que é uma criptomoeda. É aí que as coisas complicam um pouco.

Com essas informações, podemos concluir o seguinte: não precisamos entender o que são todas as criptos para investir em NFTs.

No entanto, alguns conhecimentos são importantes. Principalmente os que envolvem a rede ETH. Afinal, comprar esta cripto em momentos de baixa é essencial no futuro, utilizando-a para negociar as cripto artes.

Quais cuidados preciso ter ao investir em NFTs?

Se você pensa em investir em NFTs, saiba que alguns cuidados são fundamentais, afinal, trata-se de um mercado de alta especulação. Diferentemente de outros investimentos, não há uma lei específica que regula esse mercado.

Assim como os quadros de Van Gogh não valiam nada quando o pintor morreu, pode ser que o NFT que você adquiriu demore muito para ter algum valor de mercado. É possível, inclusive, que nunca saia do lugar.

Com isso, podemos dizer que, nesse mercado, não há uma fórmula mágica para lucrar. Por isso, os investimentos precisam ser calculados e, quanto maior o risco, menor deve ser a participação desses ativos na sua carteira.

Como é o mercado de NFTs?

Como acabamos de explicar, são as especulações do mercado que regulam o valor dos NFTs. Desse modo, nesse espaço em que não há a troca física da mercadoria, a chance de lucrar de forma inesperada existe (mas também requer cuidados!).

Outra característica das cripto artes é seu acesso global. Isto é, você pode acessar suas obras de qualquer lugar do mundo.

Além disso, pode participar de exposições ou visitar galerias com artes, memes, fotografias e outros NFTs sem sair de casa. Isso garante a exposição mundial de qualquer ativo digital.

Inclusive, nas buscas por novas artes digitais não fungíveis, pode ser que você acabe encontrando o novo Beeple e consiga comprar o ativo antes de valorizar. Claro que aqui sempre fica a ressalva de investir com calma, mas, também não podemos dizer que é impossível conseguir lucrar nesse mercado.

Se um grande pintor como Van Gogh foi adquirindo valor com o tempo, a tendência é que isso também ocorra com determinados NFTs que são, hoje, desconhecidos. O segredo é compreender o mercado, desenvolver um bom ‘olho artístico’ para NFTs e identificar as oportunidades!