Os 5 principais erros de SEO que prejudicam o seu site

Marketing Digital Marketing Organico SEO

Manter o site otimizado para os mecanismos de busca é um grande desafio, ainda mais porque os algoritmos são constantemente atualizados e exigem que as equipes de Marketing criem planos contínuos para melhorar seu rankeamento.

Por outro lado, cultivar bom posicionamento orgânico é um caminho saudável para aumentar o tráfego e, consequentemente, as conversões, de modo que as marcas não fiquem dependentes apenas do resultado obtido por meio de campanhas pagas.

Erros de SEO

Embora existam inúmeros fatores de rankeamento no Google, boa parte do resultado de um site pode ser otimizado ao olhar para os principais erros que prejudicam seu rankeamento. 

Confira 5 deles em nosso artigo!

1 – Publicar conteúdo de baixa qualidade

Com uma infinidade de conteúdos disponíveis na internet, o principal segredo para se destacar é publicar informações relevantes.

Para isso, é necessário entender as necessidades do público que deseja atingir, como é sua busca por conteúdo e quais os formatos mais atraentes para a persona.

Muitas empresas entendem que basta publicar para ter bom rankeamento e acabam designando esforços para produzir o máximo de conteúdo possível, porém esquecem de focar em qualidade.

Prova de que esse é um ponto cada vez mais importante para o Google é o fato de que seu algoritmo passou a considerar a atualização de artigos como um fator de rankeamento, como forma de valorizar os produtores que se preocupam em melhorar seus conteúdos e aumentar a qualidade daquilo que já está publicado.

Portanto, o primeiro passo para ter bons resultados em SEO é se preparar para entregar um conteúdo de alto valor para o usuário.

2 – Repetir a palavra-chave de forma mecânica e excessiva

A definição correta da palavra-chave ainda é um dos passos mais importantes para criação de conteúdo otimizado para SEO

Porém, muitas marcas utilizam essa estratégia de forma inadequada, inserindo essas palavras em quantidade excessiva e com pouca ligação contextual. 

Embora isso possa ter dado certo há alguns anos, a verdade é que as atualizações do algoritmo o estão tornando cada vez mais apto para entender o contexto e avaliar o quanto a palavra-chave faz sentido nele.

Portanto, ao escrever o conteúdo para seu site, certifique-se de que as palavras-chave estão sendo utilizadas de forma apropriada, evitando que sejam inseridas aleatoriamente. 

Para isso, o grande segredo está em escrever para pessoas e otimizar para SEO, e não o contrário.

3 – Links quebrados

Considerando o fato de que a linkagem interna e externa de um conteúdo são excelentes fontes de tráfego e agregam valor em SEO, é importante verificar periodicamente se todos os links das páginas estão funcionando corretamente.

Isso porque as URLs podem sofrer alterações ao longo do tempo e ter link quebrados em seu site podem demonstrar para o algoritmo que este é um conteúdo desatualizado, fazendo com que ele vá perdendo o rankeamento ao longo do tempo.

4 – Problemas com meta tags

Assim como as vitrines são o grande chamariz para que o cliente entre em uma loja, o mesmo ocorre com as meta tags de um site, já que elas são responsáveis pelo primeiro impacto que o usuário terá com sua marca ao vê-la no resultado de uma busca, fazendo com que ele decida (ou não) clicar em seu link.

Dada essa importância, o algoritmo do Google fica responsável por entender a relação do seu conteúdo com aquilo que o usuário está buscando, identificando os tópicos de suas páginas e conectando-os de acordo com a intenção de busca do consumidor.

O grande erro é que muitas marcas podem até criar conteúdos de excelente qualidade, mas esquecem de dar a devida importância às suas meta tags, prejudicando assim o tráfego para seu site.

Para evitar esse problema, é indicado verificar se:

  • As tags de títulos estão duplicadas ou ausentes;
  • As meta descrições estão duplicadas ou ausentes;
  • O elemento de título é muito longo ou muito curto;
  • Existem múltiplas tags h1;
  • A tag h1 está ausente;
  • Existe conteúdo duplicado em h1 e título.

Além disso, utilize esses espaços para trazer palavras-chave relevantes e frases relacionadas com aquilo que sua marca deseja transmitir ao usuário por meio do conteúdo.

5 – Baixo desempenho do site

Como o foco na qualidade de conteúdo é extremamente relevante, é comum esquecer de outro ponto importante: o desempenho do site.

Afinal, de nada adianta ter materiais interessantes para o público se ele não consegue ter boa experiência em seu site.

Por esse motivo, o Google tem considerado cada vez mais o tempo de carregamento como um fator de rankeamento de SEO. 

Dito isso, é recomendado verificar periodicamente como está o desempenho do seu site no carregamento da página e de materiais que a compõem, tanto no desktop quanto no mobile.

Como vimos até aqui, o trabalho de SEO é minucioso e deve passar por verificações e ajustes constantemente.

Mesmo que sua empresa faça uma força tarefa para resolver os principais erros do seu site, é bem provável que depois de algumas semanas exista uma nova lista de itens a serem otimizados para obter melhor posicionamento nas buscas.

Por isso, é essencial contar com uma equipe de SEO dedicada a entender os fatores de rankeamento e as mudanças nos algoritmos do Google, a fim de otimizar constantemente seu site para que obtenha um bom desempenho na busca orgânica.

Sabia que além do Google, existem boas práticas de SEO para aumentar seu alcance orgânico no Instagram? 

Leia este artigo e entenda tudo sobre o assunto!